A Cidade e as Serras, Eça de Queirós

14374739_1002491236514858_788154205_o

“E todos, Uranos ou Lorenas de Noronha Sande, constituímos modos diversos de um ser único, e as nossas diversidades esparsas somam na mesma compacta unidade. Moléculas do mesmo todo, governadas pela mesma lei, rolando para o mesmo fim… Do astro ao homem, do homem à flor do trevo, da flor do trevo ao mar sonoro – tudo é o mesmo corpo, onde circula, como sangue, o mesmo deus.”

Sobre o livro

A Cidade e as Serras é o último romance de Eça de Queirós, publicado em 1901 após a sua morte. Foi escrito com base no conto “Civilização” (1892), e opõe dois estilos de vida. Por um lado, a vida rural, tradicional e simples, representada pela cidade de Tormes, situada no interior português; e do outro lado, a vida urbana e civilizada, representada por Paris, cidade que, na época, é considerada a mais moderna e civilizada de todas as capitais europeias.

A obra encaixa-se no realismo, e é a que mais reflete a civilização industrial dentro do gênero. Eça critica a revolução industrial, a urbanização acelerada e seus efeitos à sociedade  do século XIX.

“Assim, meu Jacinto, na Cidade, nesta criação tão antinatural onde o solo é de pau e feltro e alcatrão, e o carvão tapa o céu, e a gente vive acamada nos prédios como paninho nas lojas, e a claridade vem pelos canos, e as mentiras se misturam através de arames – o homem aparece como uma criatura anti-humana, sem beleza, sem força, sem liberdade, sem riso, sem sentimento, e trazendo em si um espírito que é passivo como um escravo ou impudente como um histrião (palhaço)…”

O tema continua atual, podendo ser ligado aos tempos atuais, marcados pela rapidez, tecnologia e pelo consumismo avançado nos países industriais, que se encontra em grande contraste com a vida simples e precária em países em desenvolvimento.

Sinopse

O personagem principal de A Cidade e as Serras é Jacinto, neto de Jacinto Galião – figura importante de Portugal. Após a morte do pai, Jacinto (o protagonista), é criado pela avó, em Paris. Herda mais tarde uma grande fortuna dela e, assim, vive uma vida repleta de luxo e conforto, aparentemente sem preocupações.

É na universidade que faz amizade com Zé Fernandes, nosso narrador. Desta época ele desfruta a gosto de todas as amenidades que Paris pode lhe oferecer. Passa a defender e idealizar a civilização e a ciência, chegando à conclusão de que é apenas no meio civilizado que o homem pode ser feliz.

No entanto, mais tarde, ele nota que nem a posse sobre uma biblioteca privada de 30.000 volumes nem a aquisição de todas as máquinas possíveis, preenche o vazio que ele começa a sentir. Suas leituras de Schopenhauer deixam-no ainda mais para baixo.

Antes de entrar num desespero total, recebe uma carta que o força a uma viagem para as Serras Portuguesas. É nesta época que uma série de mudanças se passam com ele…

Pensamentos e Reflexões

Ao contrário do que muita gente pensa, A Cidade e as Serras não é um livro chato ou monótono. Teve váários momentos em que eu ri bastante, ri mesmo! Esse livro é, na verdade, divertidíssimo!

Além disso é bastante reflexivo, aborda não só o assunto da ciência e da industrialização, como também cogita sobre religião, filosofia, tradições e preceitos, entre outros.

A linguagem de Eça é lindíssima e apaixonante. No começo pode parecer um pouco difícil, mas é só deixar-se levar que se acostuma rapidinho.

A um todo, amei muito a leitura desse livro sensacional e recomendo muito! Livram-se de preconceitos e deem uma chance a essa maravilha divertida, cheia de pensamentos bacanas e escrita em uma linguagem tão envolvente ❤

Sobre o Autor

Eça de Queirós nasceu em Póvoa de Varzim, Portugal em 1845.

Foi um dos mais importantes escritores portugueses da história. Escreveu, entre outros, Os Maias, considerado por muitos o melhor romance realista português do século XIX. Suas obras foram traduzidas para quase 20 línguas.

Faleceu em Paris, França em 1900.

Para conferir uma biografia completa de Eça e outros autores lusófonos, clique aqui.

Espero que tenham gostado 🙂

Até a próxima e boas leituras a todos!

 

 

Anúncios

Uma consideração sobre “A Cidade e as Serras, Eça de Queirós”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s